Apresentação

A “Questão de Equilíbrio” – Associação de Educação e Inserção de Jovens, foi criada em 1994 com o objectivo principal de promover, entre os jovens que então deambulavam pelas ruas de Setúbal, actividades físico- pedagógico-terapêuticas de descoberta, aventura e risco, como forma de intervenção na modificabilidade do seu comportamento social.

Mais tarde, pela continuidade da intervenção, tais atividades físicas passaram a articular-se com actividades culturais e recreativas de apoio à descoberta das aptidões e interesses vocacionais dos jovens, proporcionando estas um melhor estudo de formas diversificadas de reentrada daqueles na sociedade e nas suas respectivas famílias, desde que tal considerado positivo para o seu processo de desenvolvimento pessoal e social.

Atualmente, a “Questão de Equilíbrio” multiplicou as suas respostas sociais[1], alargou os seus objectivos procurando prestar um serviço mais adequado e eficaz a crianças, jovens e famílias em situação de risco e/ou exclusão social, bem como tentando prevenir tais situações através da promoção da inclusão social e de alternativas ao internamento institucional.

A “Questão de Equilíbrio” é reconhecida internacionalmente por instituições de referência no campo da educação não formal, utilizando estratégias e metodologias inovadoras e adequadas à diversidade dos públicos-alvo, tendo por base os princípios da atual Pedagogia Institucional[2], mas contribuindo também para a sua renovada forma de intervenção pedagógica, educativa, socializadora, através da articulação desta com o Modelo de Intervenção com as Actividades de Risco Controlado[3], Recurso Técnico Pedagógico, que tem vindo a desenvolver praticamente desde a sua formação.

Atualmente coordena o projeto ARPI, com parceiros de quatro países europeus e tem como objetivo de curto / médio prazo, voltar a fazer funcionar o “Parque de Aventuras”, bem como a “Escola da Floresta”, esta destinada a jovens com comportamentos sociais problemáticos, ou que abandonaram o sistema regular de ensino, ou ainda jovens em processo de reinserção social, saídos de Centros Educativos, com vista à sua preparação para a reentrada no sistema regular de ensino ou de formação profissional.

 


[1] Acordos de Cooperação, ISS-IP: Lar de Infância e Juventude 1 de Junho, desde 2001, situado na Estrada de Miraventos, concelho de Palmela, com capacidade para 12 jovens dos 12 aos 18 anos; Lar de Infância e Juventude (perspetiva de Apartamento de Autonomização), desde 1995, situado no Bairro da Terroa, em Setúbal, com capacidade para 6 Jovens com mais de 18 anos e em situação de autonomia; Centro de Apoio Familiar e Aconselhamento Parental (CAFAP), desde 2003, em Setúbal, dirigido a crianças e jovens em situação de risco e respetivas famílias.
[2] Universidade Paris X – Nanterre (França), Escola de la Neuville (Paris) e Escola Democrática (Bélgica)
[3] MARTÍNEZ, R. M. (2007) Marginación y Integración Social: Una experiencia a través del deporte de riesgo. Tesis Doctoral. Universidad de Sevilla. Departamento de Sociología. Programa de Doctorado “Análisis Sociológico de las Sociedades Complejas. Sevilla.